Sete Testes da Autenticidade Cristã

Artigo exibido: 3602 vezes

O Evangelho Segundo João foi escrito “ para que creiais que Jesus Cristo é o Filho de Deus e para que crendo tenhais vida em Seu Nome ” (Jo 20:31). A primeira carta entretanto trata de comunhão: “Sim, o que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos para que vós também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai e com o Seu Filho Jesus Cristo” (I Jo 1:3). Se lermos esta carta com atenção veremos que João mencionou uma serie de “setes” muito importantes: sete razoes porque a epistola foi escrita, sete evidências dos que nasceram de novo e sete testes da realidade da vida cristã. Dessa vez vamos nos concentrar nos sete testes da realidade cristã. Os sete versículos que iremos estudas nos permitirão fazer um teste da realidade da nossa vida espiritual. João é muito direto ao tratar com as questões da vida cristã. Apesar de ser o apóstolo do amor, ou, o discípulo a quem Jesus amava, ele não trata o nosso testemunho de vida de forma leviana. Portanto, leiamos os sete testes por ele apresentados com oração e submissão ao Espírito Santo de Deus.

1) Falsa Comunhão
“Se dissermos que mantemos comunhão com Ele e andarmos nas trevas, mentimos” (I Jo 1:6). O cristão que mantém comunhão com Deus não pode andar nas trevas, porque Deus é Luz e nEle não há trevas nenhuma (1:5). Se temos comunhão com Deus vivemos uma vida de céu aberto. Comunhão com Deus inclui uma vida de oração, leitura e estudo da Palavra, leitura de bons livros, confissão de pecados, consagração, vigilância diária, etc. Quantos cristãos chamam a Jesus de Senhor mas seus corações estão longe dEle. João diz que aquele que vive assim é mentiroso. Nesse primeiro teste o crente manifesta uma Falsa Comunhão com Deus.

2) Falsa Santidade
“Se dissermos que não temos pecado, a nós mesmos nos enganamos e a verdade não está em nós” (I Jo 1:8). João está dizendo que o cristão que afirma não haver nele uma natureza caída (pecado) engana a si mesmo e nele não está a verdade. É verdade que nascemos de novo e somos novas criaturas, mas a “carne” continua dentro de nós: “a carne luta contra o Espírito” (Gl 5:17). Nosso “velho homem” foi crucificado, mas isso não significa que ele não possa mais se manifestar na vida do salvo. Devemos nos lembrar que o potencial para cometermos qualquer tipo de pecado permanece conosco. Se deixarmos de vigiar e de depender do Espírito Santo, a velha natureza se manifestará. Nesse segundo teste o crente manifesta uma Falsa Santidade.

3) Falsa Justiça
“Se dissermos que não temos cometido pecado nenhum, fazêmo-Lo mentiroso e Sua Palavra não está em nós” (I Jo 1:10). Essa declaração é diferente da anterior, pois nos fala do fruto e não da árvore. No versículo 8 é a natureza caída e no versículo 10 são os seus frutos (ver o estudo pecado e pecados). Aqui se trata de negar a realidade dos atos pecaminosos em nossa vida. Ninguém pode dizer que não comete nenhum ato pecaminoso. Isso todavia, não significa que devemos aceitar essa situação passivamente, pois João logo vai dizer que ele escreveu estas coisas “para que não pequeis” (2:1). Este deve ser o nosso desejo e o nosso alvo, mas quanto mais nos conhecemos mais somos convencidos das nossas fraquezas. Neste teste o crente manifesta uma Falsa Justiça.

4) Falsa Lealdade
“Aquele que diz que O conhece e não guarda os Seus mandamentos é mentiroso” (I Jo 2:4). Podemos conhecer a Deus de ouvir e também de ver. Jó confessou que conhecia o Senhor de ouvir (Jó 42:5) e depois chegou a vê-Lo. Muitos crentes professam conhecer ao Senhor, mas não guardam os Seus mandamentos. Quantas coisas fazemos que desagradam ao Senhor e mesmo assim continuamos praticando-as. John Hyde, o homem que orava, acordava de madrugada para ler a Bíblia e procurar mandamentos do Senhor com o fim de obedecer-lhos. Nosso coração é assim para com Ele? Aquele que guarda a Palavra o amor de Deus está nele aperfeiçoado (2:5). Nesse teste o crente manifesta uma falsa Lealdade ao Senhor.

5) Falso Comportamento
“Aquele que diz que permanece nEle, esse deve também andar como Ele andou” (I Jo 2:6). A palavra “andar” no Novo Testamento geralmente traz a idéia de “conduta, comportamento.” João está ensinando que o crente deve “permanecer” em Cristo, isto é, habitar, fazer morada nEle. Cristo é o nosso Lar. Todo aquele que declara estar “habitando” em Cristo, deve andar como Ele andou. Lucas registrou em Atos que “Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e poder; o qual andou por toda a parte fazendo o bem e curando todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com Ele” (10:38). Se o cristão não anda como Jesus andou, isso significa que ele não está fazendo sua morada nEle. Nesse teste o crente manifesta um Falso Comportamento.

6) Falsa Espiritualidade
“Aquele que diz estar na luz e odeia a seu irmão, até agora está nas trevas” (I Jo 2:9). Estar na luz aqui significa viver uma vida de comunhão com o Senhor. Viver uma vida de comunhão significa ser uma pessoa espiritual. Todavia, o cristão que declara estar na luz e mesmo assim odeia a seu irmão, até agora está nas trevas. É deveras impressionante como certos crentes têm coragem de testemunhar que estão na luz e ainda demonstrar sentimentos e atitudes erradas com outros irmãos. Quantos filhos de Deus desprezam outros irmãos e ainda têm coragem de participar da Mesa do Senhor e do serviço cristão. Se nosso coração está errado, devemos deixar tudo de lado e procurar acertar com o nosso irmão. Caso contrário, estaremos edificando, sim, edificando, mas com madeira, feno e palha. Tudo será consumido pelo fogo do Tribunal de Cristo. Nesse teste o crente manifesta uma Falsa Espiritualidade.

7) Falso Amor de Deus
“Se alguém disser: Amo a Deus e odiar a seu irmão, é mentiroso” (I Jo 4:20). João continua lembrando a questão de odiar a um irmão. O ponto em questão se relaciona com o nosso amor a Deus. Como posso declarar que amo a Deus se odeio a meu irmão? João continua dizendo: “Pois quem não ama a seu irmão ao qual viu, não pode amar a Deus a Quem não viu” (4:20). Portanto, amado irmão, cuidado quando você declara em alta voz nas reuniões da igreja, o seu grande amor pelo Senhor. Se você não ama a seu irmão que está do seu lado, como será possível amar a Deus a Quem você não vê? João repetidas vezes mencionou a palavra mentiroso, e aqui ele a usa mais uma vez. Podemos dizer mentiras com os lábios, mas quão freqüentemente mentimos com nossas ações no tocante a amar nossos irmãos. Nesse teste o cristão manifesta um Falso Amor.

Sonda-me ó Deus (Sl 139:23)
O Salmista Davi fez esta oração: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me, e conhece os meus pensamentos.” Não tente examinar a você mesmo, pois seu coração é enganoso e corrupto. Peça ao Senhor para sondar a sua vida e revelar como Ele mesmo te vê. Só assim seremos livrados da falsa comunhão, da falsa santidade, da falsa justiça, da falsa lealdade, do falso comportamento, da falsa espiritualidade e do falso amor a Deus, Quantos filhos de Deus podem estar vivendo como a igreja em Laodicéia, que pensava ser rica, abastada e sem falta de coisa alguma. Mas o Senhor trouxe a sua luz e declarou que ela era miserável, pobre, cega e nua. Que o Senhor possa nos livrar do perigo de passarmos a acreditar nos tipos de falsidade que vimos neste estudo. Que ele tenha misericórdia de nós!

Autor: Delcio Meireles


Saiba mais...
A Salvação da Alma
Oração é o Trabalho Básico na Salvação de Almas
Regeneração e Renovação
Sete Testes da Autenticidade Cristã