O Espírito Santo e os Samaritanos

Artigo exibido: 3920 vezes

Certa vez Pedro e João ouviram que as portas do Evangelho estavam se abrindo em Samaria e foram para lá. Houve um grande avivamento naquela cidade por meio de Filipe. Filipe foi um grande evangelista. Deus o usou e toda a cidade foi virada de cabeça para baixo. Os samaritanos receberam a Palavra de Deus, ali estava um corpo de cristãos, não apenas um ou dois indivíduos. Todavia, aquelas pessoas haviam sido batizadas em nome do Senhor, mas não haviam recebido o Espírito Santo ainda.

A questão central nesse caso é a seguinte: por muitos anos, judeus e samaritanos eram inimigos. Os judeus ortodoxos, por exemplo, quando viajavam, nunca passariam por Samaria, tomariam um rota alternativa, mesmo que mais longa. Mas, um dia, nosso Senhor, intencionalmente, passou por Samaria, Ele queria encontrar com aquela mulher samaritana. Então temos o capítulo 4 do Evangelho de João. Muitas vezes nosso Senhor passou por aquela vila, mas, em determinada ocasião, nosso Senhor não foi aceito pelos samaritanos. Tiago e João ficaram muito irados com aquela atitude. Sempre achamos que João era uma pessoa muito tranqüila e mansa, afinal ele era o apóstolo do amor, também foi aquele que se reclinou no seio de nosso Senhor. Os artistas sempre retrataram o apóstolo João muito delicado. Mas o Senhor nos conhece muito bem e chamou Tiago e João de "filhos do trovão". Você sabe quanto TNT tem naqueles filhos do trovão? Porque os samaritanos naquele dia não receberam o Senhor Jesus, ele ficaram "trovejando": "Vamos orar como Elias, para que desça fogo dos céus e consuma a todos!".

O apóstolo do amor, aquele que escreveu as cartas de João e o Evangelho, agindo dessa forma! Graças a Deus, eles foram salvos e, por causa do dia de Pentecostes, tornaram-se membros do Corpo de Cristo. Então Pedro e João foram à igreja em Samaria. Naquela cidade, naturalmente judeus e samaritanos não se comunicavam, nada tinham a ver uns com os outros. Mas agora Pedro e João não podiam mais agir assim, haviam sido batizados em um só corpo, Pedro e João precisavam agir de acordo com essa verdade. No dia de Pentecostes e na casa de Cornélio, o Espírito Santo desceu sem imposição de mãos. Isso demonstra que foi o Cabeça da igreja quem derramou o Espírito Santo. Mas, agora, porque o batismo já havia acontecido e não podemos fazer com que se repita, Pedro não poderia pedir ao Senhor Jesus que derramasse Seu Espírito novamente. Então eles foram a Samaria, oraram por aqueles cristãos e impuseram as mãos sobre eles. Imposição de mãos significa comunhão.

Pedro e João representam o Cabeça. Então aqueles samaritanos apropriaram-se daquilo que o Cabeça fez no dia de Pentecostes e receberam o Espírito (Atos 8:14-17). Isso significa que eles são um com todos os santos. Historicamente, eram inimigos, mas agora são irmãos; em Cristo, não há judeu nem samaritano, apenas a igreja. Que tremendo! Por isso foi muito importante o fato de Pedro e João terem ido a Samaria e pedido que o Espírito Santo descesse. Para João em particular esse evento foi muito importante, pois ele lembrava muito bem que há algum tempo havia pedido ao Senhor que lhes permitissem fazer descer fogo do céu. Eles odiavam aqueles samaritanos, mas agora ele haviam sido salvos e batizados em um corpo. Em vez de enviar fogo, aquele filho do trovão foi levado pelo Senhor para a mesma região e orar por aqueles samaritanos. Para João deve ter sido uma experiência muito significativa, então eles oraram. Algum tempo atrás, ele queria orar para que descesse fogo, mas agora existe este amor maravilhoso. Apenas o amor pode unir João e os samaritanos. João queria destruir aqueles samaritanos, mas agora eles eram um em Cristo. Que quadro maravilhoso!

Quando estudamos o livro de Atos, não vemos somente fogo e vento, há muito mais do que isso. Aconteceu com a igreja de Deus algo que este mundo nunca poderá fazer. O que aconteceu em Pentecostes é muito maior do que falar em línguas, muito maior que a cura divina. Nós cremos na cura divina, cremos que todas essas coisas podem acontecer ainda hoje, mas devemos lembrar que, depois do dia de Pentecostes, após o Espírito Santo ter fixado residência sobre a terra, após o Pai e o Filho fazerem Sua morada sobre a terra, algo aconteceu nesta terra que nunca havia acontecido antes.

Autor: Christian Chen
Extraído do livro, Andai no Espírito – Christian Chen – Edições Tesouro Aberto