O Medo de Crer

Artigo exibido: 3570 vezes

O medo de crer é um produto singular da nossa natureza doentia. Eu mesmo tenho me encontrado com ele freqüentemente: tão freqüentemente que espero poder nunca mais vê-lo novamente. Ele parece humildade, e tenta se passar como uma verdadeira modéstia da alma e, contudo, é orgulho infamante: na verdade, é a presunção representada pelo hipócrita. Se os homens temessem descrer haveria bom senso no medo; mas ser temente em confiar em Deus é na melhor das hipóteses absurdo, é sem dúvida uma forma enganosa de recusar ao Senhor a honra que é devida à Sua fidelidade e verdade.

Quão inútil é a diligência que se ocupa em encontrar motivos pelos quais a fé, no nosso caso, não poderia estar salvando. Temos a Palavra de Deus para isto, para que todo aquele que creia em Jesus não pereça, e procuramos por argumentos porque deveríamos perecer se cremos. Se alguém me desse uma propriedade, eu certamente não começaria a levantar questões com relação à escritura. O que adianta inventar razões pelas quais eu não possuiria minha própria casa, ou alguma outra parte de uma propriedade que é desfrutada por mim? Se o Senhor está satisfeito em salvar-me pelos méritos do Seu querido Filho, seguramente posso estar satisfeito por ser salvo deste modo. Se eu aceitar Deus em Sua Palavra, a responsabilidade do cumprimento da Sua promessa não está comigo, mas com Deus, que fez a promessa.

Mas você teme que talvez não seja um daqueles para os quais a promessa é destinada. Não esteja alarmado por essa suspeita inútil. Nenhuma alma jamais veio a Jesus erroneamente. Ninguém pode vir a menos que o Pai o atraia; e Jesus disse, “Aquele que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.” Nenhuma alma jamais se agarra a Cristo de forma roubada; aquele que O tem O tem por direito divino; pois a doação do Senhor de Si mesmo por nós, e para nós, é tão gratuita, que toda alma que O recebe tem um direito gracioso de assim fazê-lo. Se você se agarra a Jesus pela orla de Sua veste, sem permissão e por de trás dEle, ainda assim virtude fluirá dEle para você tão certamente como se Ele tivesse chamado você pelo nome e dito para você confiar nEle. Rejeite todo medo quando você confia no Salvador. Recebe-O e seja bem-vindo. Aquele que crêem Jesus é um eleito de Deus.

Você acha que seria uma coisa horrível se você confiasse em Jesus e ainda assim perecesse? Seria mesmo. Mas como você deve perecer se não confiar, o risco na pior das hipóteses não é muito grande.

Suponha que você esteja no Pântano do Desânimo para sempre, qual será o benefício disso? Certamente seria melhor morrer se esforçando ao longo da auto-estrada do Rei em direção à Cidade Celestial, do que afundar mais e mais fundo na lama e na imundícia das trevas dos pensamentos desconfiados! Você não tem nada a perder, porque já perdeu tudo; portanto dê um basta nisso e ouse crer na misericórdia de Deus para com você, até mesmo para com você.

Mas alguém se lamenta, “E se eu for a Cristo, e Ele me recusar?” Minha resposta é, “Prove-O”. Atire-se sobre o Senhor Jesus e veja se Ele o recusa. Você seria o primeiro contra quem Ele teria fechado a porta da esperança. Amigo, não cruze aquela ponte até que você chegue a isso! Quando Jesus o lançar fora, será tempo de muita desesperança; mas esse tempo nunca chegará. “Este homem recebe pecadores”, Ele não tem tantos para começar a lançá-los fora.

Você nunca ouviu sobre o homem que uma noite perdeu o seu caminho, e foi parar na borda de um precipício, assim pensou ele, e em sua própria apreensão caiu no precipício? Agarrou em uma velha árvore, e ficou suspenso ali, preso ao seu frágil suporte com toda a sua força. Sentiu-se convencido de que, se deixasse seu suporte, seria feito em pedaços sobre alguma rocha terrível que estava esperando por ele logo abaixo. Ali pairou, com suor sobre sua testa, e sofrimento em todo o braço. Entrou em um estado de desespero de febre e debilidade, e por fim sua mão não podia mais sustentar seu corpo. Relaxou sua força! E caiu do seu suporte! Caiu quase trinta centímetros ou mais, e foi parar em um macio banco de musgo, onde se deitou, sem ferimento algum e perfeitamente salvo até pela manhã. Deste modo, nas trevas da sua ignorância, muitos pensam que certa destruição os espera se confessarem seus pecados, abandonarem toda esperança em si mesmos e renunciarem se a si mesmos nas mãos de Deus. Temem deixar a esperança nas quais ignorantemente se agarram. É um medo inútil. Desista da sua esperança em qualquer coisa a menos de Cristo, e caia. Caia de toda confiança em suas obras, orações ou sentimentos. Caia de uma vez! Caia agora! Macio e seguro será o banco que o recebe. Jesus Cristo, em Seu amor, na eficácia do Seu precioso sangue, e Sua perfeita justiça, dará imediato descanso e paz. Cesse com a autoconfiança. Caia nos braços de Jesus. Esta é a maior parte da fé deixar todo outro suporte, e simplesmente cair sobre Cristo. Não há razão para temer, somente a ignorância motiva seu medo daquilo que será sua segurança eterna. A morte da esperança carnal é a vida de fé, e a vida de fé é vida eterna. Deixe o ego morrer, para que Cristo possa viver em você.

Mas o ruim é que não podemos conduzir os homens ao ato de fé em Jesus. Eles adotarão algum recurso antes mesmo que o possamos fazer. Eles procuram evitar crer, e temem a fé como se ela fosse um monstro. Oh tolos vacilantes, quem os enfeitiçou? Vocês temem aquilo que poderia ser a morte de todo medo e o começo da alegria. Porque vocês pereceriam por perversamente preferir outros caminhos para o próprio plano de salvação apontado por Deus?

Meu Deus! Existem muitas e muitas almas que dizem, \'Somos convidados a confiar em Jesus, mas em vez disto freqüentaremos regularmente os expedientes da graça.\' De toda maneira freqüentaremos o culto público, mas não como um substituto para a fé ou isto se tornará uma vã confiança. O mandamento é, “creia e viva”, atente para isto em tudo o quê você faça. “Bem, devo considerar a leitura de bons livros, talvez obtenha benefício desta forma.” Sem dúvida lemos os bons livros, mas isto não é o Evangelho. O Evangelho é, “Creia no Senhor Jesus Cristo, e você será salvo.” Suponhamos que um médico tenha um paciente sob seus cuidados e diga a ele, “Tome um banho pela manhã; isto será de grande ajuda para a sua enfermidade.” Mas o homem toma uma xícara de chá pela manhã ao invés do banho, e diz, \'Isto fará bem também, não tenho dúvida.\' O que seu médico dirá quando perguntar, \'Você seguiu minha instrução?\' \'Não, não segui.\' \'Então não espere, com certeza, que haverá algum bom resultado das minhas visitas, já que você não cumpriu a minha orientação.\' Assim nós, quando estamos de baixo do exame da alma, de modo prático, dizemos a Jesus Cristo, \'Senhor, Você me disse que confiasse em Você, mas eu prontamente faria algo mais! Senhor, quero ter horríveis convicções; quero ser sacudido sobre a boca do inferno; quero ser amedrontado e afligido!\' Sim, você quer qualquer coisa que não seja o que Cristo prescreve para você, que é que você simplesmente confie nEle. Quer você sinta ou não sinta, lance-se sobre Ele, pois Ele, e somente Ele, pode salvar você. \'Mas você não pretende falar contra a oração, ler bons livros, e assim por diante?\' Não digo nem uma única palavra contra nenhuma destas coisas, nenhuma mais da que falaria contra o homem beber uma xícara de chá, se eu fosse o médico que mencionei. Deixe-o tomar seu chá; mas não se ele o bebe ao invés de tomar o banho que está prescrito para ele. Por isso deixe o homem orar, quanto mais melhor. Deixe o homem examinar as Escrituras, mas lembre-se de que se estas coisas são colocadas no lugar da simples fé em Cristo, a alma estará arruinada. Tenham cuidado para que nosso Senhor não diga de qualquer um de vocês, “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; E não quereis vir a mim para terdes vida.”

Venha pela fé a Jesus, pois sem Ele você perece para sempre. Você notou como um pinheiro se sustenta em meio a rochas que parecem não proporcionar a ele solo algum? Ele lança uma pequena raiz dentro de cada pequena brecha que abre; ele se agarra até mesmo na rocha exposta como uma imensa garra de pássaro; ele segura forte e se une a terra com uma centena de ancoragens. Freqüentemente vemos árvores assim firmemente enraizadas sobre montes isolados de rocha exposta. Agora, querido coração, deixe esta ser a imagem de você mesmo. Agarre-se na Rocha das Eras, com a pequena raiz da pequena fé baseada nEle. Deixe aquele minúsculo tentáculo crescer e lançar outro para adquirir uma nova compreensão da mesma Rocha. Agarre-se a Jesus, e se mantenha agarrado a Jesus. Cresça nEle. Enlace as raízes da sua natureza, as fibras do seu coração, em torno dEle. Ele é tão gracioso para você como as rochas o são para os pinheiros; esteja firmemente amarrado a Ele como o pinheiro está na encosta da montanha.

Extraído da Revista O Vencedor
Do livro \'Around the Wicket Gate\' (Perto da Porta da Meta).


Saiba mais...
A Escolha que Confrontou Adão
A Queda do Homem
Evangelho - A Boa Nova
Há um Deus?
Justificação
Não Estou Salvo!
Nascer de Novo
O Caminho que Funciona
O Evangelho: Crer e Obedecer
O Homem Certo Ao Nosso Lado
O Medo de Crer
Sete Evidências do Novo Nascimento
Um Deus Justo e Salvador
Você é da Família de Adão ou da Família de Cristo?