O Ministério e a Autoridade do Espírito Santo

Artigo exibido: 3496 vezes

A administração ativa do Espírito Santo pode ser vista pela primeira vez na Igreja na forma da escolha dos diáconos. O Espírito Santo não entrega a Sua autoridade na igreja confiando às mãos humanas qualquer departamento dos Seus assuntos. (Atos 6:3). O ministério dessas pessoas deve ser visto como o próprio ministério do Espírito. Mesmo em se tratando de coisas temporais, tais como a distribuição de dinheiro e alimento, a condição é ser cheio do Espírito Santo. O homem natural, ainda que seja um príncipe neste mundo, não tem lugar na administração da igreja (1 Co 2:8, 14). Tais pessoas obstruem, bloqueiam e barram o Espírito Santo. Elas são indiferentes, estagnadas e não cooperam com o Espírito Santo.

O Espírito Santo é como uma pomba que anseia por descansar no Seu ninho. Mas Ele também é tímido e pode ser facilmente afugentado. Seus métodos são sempre persuasivos e não forçados. Ele pode ser entristecido como o coração terno de um pai e pode ser apagado como uma chama de fogo. Ele é tolerante para com as nossas criancices e erros de julgamento, mas não pode tolerar um espírito indisposto. A desobediência praticamente O afugenta.

E se Ele vê homens e mulheres não espirituais na responsabilidade da igreja Ele fica ou Se retira? As igrejas que recusaram a pregação de George Whitefield permanecem estéreis até o dia de hoje. O contrário é verdadeiro: “Esta palavra agradou toda a multidão”. Estevão foi o primeiro a ser escolhido depois de Filipe. Estevão foi o primeiro mártir e Filipe o primeiro evangelista. Estevão impressionou Saulo de Tarso, e Filipe levou a benção pentecostal a Samaria e através do eunuco ele introduziu o evangelho na África e levou o evangelho a Cesaréia (Atos 8:40) e preparando o caminho para Pedro abrir a porta aos gentios.

A palavra apóstolos enfatizou o caráter espiritual dos oficiais da igreja e “agradou à multidão”. Eles deviam: (1) Ser de boa reputação – perante os de fora; (2) Ser cheios de sabedoria – em relação a eles próprios; (3) Ser cheios do Espírito Santo – com relação a Deus.

Logo depois da escolha dos sete homens foi registrado: “E a palavra de Deus crescia e o numero dos discípulos se multiplicava” (Atos 6:7,8). Você acha que não existe ligação aqui? Está enganado. Havendo homens espirituais, o Espírito Santo pode operar sem impedimento. “As leis do Reino são mais imutáveis do que as leis dos Medos e Persas”. Só assim haverá crescimento: (1) Da Palavra, e (2) Dos discípulos. No inicio os discípulos eram acrescentados, mas agora eles são multiplicados e grande numero de sacerdotes obedecem à fé.

A igreja forneceu diáconos do Espírito Santo e ganhou sacerdotes convertidos. Os discípulos escolheram diáconos do Espírito Santo e ganharam um mártir (Estevão) e um evangelista (Filipe). Eles foram escolhidos para servir às mesas (Atos 7:55). O ultimo desafio de Estevão aos seus perseguidores foi: “Vós sempre resistis ao Espírito Santo”. Eles resistiram a Estevão e ao Espírito Santo que era pleno nele.

Selecionado por Delcio Meireles