Diminuir-me Face aos Seus Desígnios

Artigo exibido: 3881 vezes

“Convém que ele cresça e que eu diminua.” – João 3.30.

Se você se tornar indispensável a outra pessoa estará fora do plano de Deus. Como obreiro, sua grande responsabilidade é a de ser amigo do noivo. Quando você vir uma pessoa começando a se conscientizar das reivindicações  de Jesus Cristo, saberá que a influência que exerceu sobre ela estava certa; e, em vez de estender a  mão para poupar-lhes  dificuldades, ore para que elas se tornem dez vezes mais fortes, até que não haja mais nenhum poder nem na terra nem no inferno capaz de manter essa pessoa longe de Jesus Cristo. Muitas vezes queremos tomar o lugar de Deus, interferimos e impedimos que Ele opere; dizemos: “Isto não pode acontecer.” Em vez de nos mostrarmos amigos do noivo, nossa compaixão acaba-se tornando empecilho, e aquela pessoa poderá um dia dizer: “Fulano foi um ladrão; roubou minha afeição por Jesus  e eu perdi a visão que tinha Dele.”

Cuidado para não se regozijar com alguém por motivo errado; procure regozijar-se pelo motivo certo. “O amigo do noivo... muito se regozija por causa da voz do noivo. Pois esta alegria já se cumpriu em mim. Convém que Ele cresça e que diminua.” Isto é dito com alegria e não com tristeza --- finalmente eles verão o noivo! E João diz que essa é a sua grande alegria. É o total desaparecimento do obreiro, que nunca mais tornará a ser lembrado.

Fique bastante atento para ouvir a voz do noivo na vida de alguém. Não importa que confusões, que transtornos, que declínios de saúde ela possa acarretar; assim que ouvir a voz Dele, regozije-se com  divina alegria. Muitas vezes, você poderá ver Jesus Cristo destroçar uma vida antes de salvá-la (cf. Mt 10.34).

Autor: Oswald Chambers
Extraído do Livro Tudo para Ele. Lição do dia 24 de Março.


Saiba mais...
A Conversão Contínua
A Cruz e o Ego
A Morte do Eu
A Vida que é Cristo
Diminuir-me Face aos Seus Desígnios
Haverá Algum Mal-Entendido?
Negativismo