O Propósito da Consagração

Artigo exibido: 4492 vezes

A consagração não visa a pregação ou o trabalhar para Deus, mas servir a Deus. A palavra “serviço” no original tem o sentido de “esperar em”, isto é, esperar em Deus a fim de poder servi-lO. A consagração não envolve necessariamente o labor incessante, pois o seu alvo é esperar em Deus. Se Ele quer que nos levantemos, então nos levantamos; se Ele quer que esperemos, nós esperamos; e se Ele deseja que corramos, nós corremos. Esse é o verdadeiro significado de “esperar” nEle.

O que Deus requer de nós é que apresentemos os nossos corpos a Ele, não com o propósito de subir ao púlpito ou de evangelizar em terras muito distantes, mas de esperar nEle. Alguns, na verdade, podem ter que aceitar o púlpito, porque eles foram mandados ali por Deus. Alguns podem ser constrangidos a ir para terras distantes, pois foram comissionados por Deus para tal. O trabalho pode variar, mas o tempo gasto permanece o mesmo toda a nossa vida. Precisamos aprender a esperar em Deus. Oferecemos os nossos corpos para que possamos ser aqueles que servem.

Uma vez que nos tornamos cristãos, devemos servir a Deus por toda a vida. Tão logo um doutor em medicina se torna cristão, a medicina passa do primeiro para o segundo lugar. O mesmo acontece com o engenheiro. A exigência do Senhor tem prioridade: servir o Senhor torna-se o maior serviço. Se o Senhor permitir, posso trabalhar como médico ou engenheiro para ganhar meu sustento, mas não poderei fazer nenhum deles “o trabalho da minha vida”. Alguns dos primeiros discípulos eram pescadores, mas depois que seguiram ao Senhor, não mais queriam ser grandes pescadores, cheios de sucesso. Era-lhes permitido pescar ocasionalmente, mas o destino deles foi alterado.

Que Deus possa ser gracioso conosco, especialmente para com os novos crentes, para que todos possamos ver como a nossa profissão foi mudada. Que todos os professores, doutores, enfermeiras, engenheiros e industriais vejam que agora a sua profissão é servir a Deus. Suas antigas profissões foram relegadas a uma posição secundária. Eles não devem ser ambiciosos demais em suas especialidades, embora o Senhor possa ainda dar a alguns deles posições especiais. Nós que servimos a Deus não podemos esperar ser prósperos no mundo, pois estas duas coisas são contrárias. Daqui em diante, devemos servir apenas Deus; não temos outro caminho ou destino.

Na consagração, a nossa oração é: “Ó Senhor, Tu me deste a oportunidade e o privilégio de me apresentar diante de Ti e servir-Te. Senhor, sou Teu. Daqui em diante meus ouvidos, mãos e pés, tendo sido comprados pelo sangue, são exclusivamente Teus. O mundo não pode usá-los mais, nem eu tão pouco os usarei mais”. Qual, então, é o resultado? O resultado será a santidade, pois o fruto da consagração é a santidade. Em Êxodo 28 temos de um lado a consagração e de outro a santidade do Senhor.

Precisamos compreender que depois de nos tornarmos cristãos, ficamos inutilizados para tudo o mais. Isso não significa que seremos menos fiéis em nossos trabalhos seculares. Pelo contrário, devemos ser submissos às autoridades e fielmente cumprir nossas tarefas. Mas vimos perante Deus que nossa vida precisa ser gasta no serviço a Deus; todos os demais serviços são secundários.

Autor: Watchman Nee
Extraído do livro - Um Sacrifício Vivo


Saiba mais...
A Consagração do Poder Espiritual
A Verdadeira Consagração
A Vida Escondida do Grão de Trigo
Como Passar o Dia com Deus
Frutificar e Testemunhar
Impossível para o Homem, Possível para Deus
Não Andeis Ansiosos
O Fruto Vem de Dentro
O Propósito da Consagração
Tesouro em Vasos Terrenos
Vós Sois as Varas - João 15:5