Satanás e Seus Ardis - II Parte

Artigo exibido: 3874 vezes

AS TENTAÇÕES DE SATANÁS

Estudando como Satanás aproximou-se de Eva no jardim do Éden e seduziu-a para transgredir contra um único mandamento de Deus, descobrimos que ele fez uso de três atrativos. Nas tentações que Satanás apresenta ao Senhor Jesus Cristo no deserto, vemo-lo recorrer aos mesmos três atrativos.

O apóstolo João fala em 1 João 2:16 desses três portões pelos quais Satanás busca entrar com seus ataques e tentações. Trata-se de uma síntese do que há neste mundo, o sistema do qual Satanás é o deus, e que em outro lugar é chamado de “mundo perverso”. Cristo morreu para nos desarraigar deste lugar (Gálatas 1:4). Vejamos quais são as suas três esferas de atrativos:

A concupiscência da carne. O homem possui uma natureza que é caracterizada pela sua carnalidade: apetite, desejos, anseios e paixões. Satanás apela a estes desejos da carne. No caso de Eva, ela viu que o fruto proibido era bom para ser comido.

Quando Satanás tentou o Senhor Jesus, sua primeira oferta foi que Ele transformasse pedras em pão para satisfazer Sua fome.

A concupiscência dos olhos. A segunda esfera que caracteriza a natureza do homem está indicada na expressão “a concupiscência dos olhos”. Satanás recorre ao sentido da visão e desperta os desejos através dos olhos. O que vemos, nós desejamos e cobiçamos, e então nos esforçamos por conseguir isso para nós. O homem é basicamente ambicioso e egoísta por natureza, e Satanás busca levá-lo à tentações através da concupiscência dos olhos. No caso de Eva, ela viu que a árvore proibida e seu fruto eram agradáveis aos olhos.

A segunda tentação que o diabo apresentou ao Senhor segundo o evangelho de Lucas, que apresenta os fatos em sua ordem moral, apela aos olhos. Satanás elevou a Jesus a um alto monte e Lhe mostrou todos os reinos do mundo e ofereceu o poder e a glória deles caso Ele o adorasse.

A soberba da vida. O terceiro portão através do qual Satanás busca entrar na vida de um indivíduo está no domínio designado como “a soberba da vida”. A soberba caracteriza a natureza humana. O homem é basicamente orgulhoso e existem pecados que apelam ao orgulho. A natureza caída gosta e se esforça por aquilo que promove, eleva e agrada o indivíduo. No jardim do Éden, Eva viu que a árvore do conhecimento do bem e do mal, da qual eles eram proibidos de comer, era “desejável para dar entendimento”. Os apelos de Satanás visaram despertar todos estes três distintos desejos (ou concupiscências), e então Eva tomou do fruto proibido e o comeu, transgredindo o único mandamento de Deus para eles (Gênesis 3:6).

No caso do Senhor, a terceira tentação era para que Ele Se atirasse do pináculo do templo para mostrar que era o Messias e que nenhum mal Lhe aconteceria (Lucas 4:2-12). Isto iria apelar à soberba da vida, mas no Senhor não habitava nenhum orgulho ou pecado que O fizesse cair nas tentações do diabo. Ele refutou todos os seus apelos citando a Palavra de Deus e agindo em obediência à Sua vontade. Jesus venceu Satanás e todas as suas tentações sujeitando-Se à sagrada Escritura em dependência ao poder do Espírito Santo. Então Satanás apartou-se do Senhor derrotado.

Vitória sobre a tentação. Podemos obter vitória sobre Satanás e suas tentações da mesma maneira que o Senhor fez: usando a Palavra de Deus e agindo em sujeição a ela. Aos jovens na família de Deus o apóstolo João escreveu: “Eu vos escrevi, porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o Maligno” (1 João 2:14).

Habitando em nossa alma como um princípio controlador, a Palavra de Deus nos fará fortes e capazes de vencer as tentações de nosso cruel adversário. O salmista Davi pôde dizer: “Pela palavra dos teus lábios, eu me tenho guardado dos caminhos do violento” e “guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti” (Salmos 17:4 e 119:11). O Senhor Jesus usou Escrituras específicas e apropriadas para resistir a cada uma das tentações de Satanás.

Não apenas a Palavra de Deus de modo geral, mas sim Escrituras específicas que fazem frente à sedução do tentador. E assim, como parte da armadura de Deus, somos exortados a tomar “a espada do Espírito, que é a palavra de Deus” (Efésios 6:17). É a escritura específica que o Espírito de Deus nos apresenta para usarmos contra Satanás e suas tentações.

 
COMO SATANÁS OPERA POR MEIO DOS DEMÔNIOS

Já vimos que Satanás é mencionado como “o príncipe deste mundo” em três ocasiões (João 12:31; 14:30; 16:11). A palavra “príncipe” aqui significa “governante”. Um príncipe é o cabeça de um principado e tem um reino. Assim nos é dito que a nossa luta é “contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Efésios 6:12). Satanás encabeça assim um grande reino do mal. Ele tem um grande exército de demônios que são espíritos malignos em seu reino.

No livro de Apocalipse lemos acerca de um tempo vindouro quando haverá guerra no céu entre Miguel e seus anjos de um lado, e o dragão, “que se chama o diabo e Satanás”, e seus anjos de outro. Também em Apocalipse 9:1-11 há uma cena profética em linguagem simbólica: gafanhotos atormentam os homens sobre a terra. Lemos que eles têm um rei que os governa, que é o anjo do abismo, cujo nome é Abadom (hebraico) ou Apoliom (grego), que significa “o destruidor”. Estes representam o diabo e seus demônios, cujo propósito naquele dia futuro será atormentar e destruir a humanidade.

Essas Escrituras nos dizem claramente que Satanás tem um grande exército de anjos caídos que estão sob seu governo e controle, e através destes seres espirituais que são espíritos mentirosos e sedutores ele leva avante sua obra diabólica (ver 1 Reis 22:22; 1 Timóteo 4:1).

O deus deste mundo. Ademais, como o deus deste mundo, Satanás tem autoridade sobre uma federação que também inclui todos os não salvos, toda a  humanidade caída que ele leva cativa e usa segundo a sua vontade (2 Timóteo 2:26). O apóstolo João escreveu: “Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno” (1 João 5:19). Também nos é dito que “o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho” (2 Coríntios 4:4).

Quão maravilhoso é o fato de que o crente em Cristo Jesus pode dizer: “Dando graças ao Pai, que... nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor”! (Colossenses 1:12-13).

O sistema de idolatria de Satanás. Ao abordar o sistema pagão de idolatria, o apóstolo Paulo declarou, por inspiração divina, que as coisas que os gentios sacrificam aos ídolos “é a demônios que as sacrificam e não a Deus; e eu não quero que vos torneis associados aos demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios” (1 Coríntios 10:10-21).

A Bíblia revela claramente que há um demônio por trás de todo ídolo pagão, e os sacrifícios oferecidos a tais ídolos são oferecidos a demônios, não ao único e verdadeiro Deus. Há a mesa dos demônios e a mesa do Senhor, e somente podemos expressar comunhão com uma delas.

Há muitas outras atividades demoníacas, associadas ao sistema satânico de idolatria pagã, sobre as quais Moisés havia alertado os filhos de Israel. No livro de Deuteronômio lemos: “Quando entrares na terra que o Senhor, teu Deus, te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos. Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal cousa é abominação ao Senhor” (Deuteronômio 18:9-12).

A adivinhação é a predição de eventos futuros por meios sobrenaturais – os adivinhos lêem a sorte. Um prognosticador é um vidente que declara saber predizer eventos. O rei Nabucodonosor mantinha em sua corte esse tipo de pessoa, e ainda astrólogos que determinavam o rumo da vida das pessoas mediante a observação do curso das estrelas. A astrologia professa interpretar as influências de corpos celestiais sobre questões humanas utilizando signos do Zodíaco. Um agoureiro é aquele que lança um feitiço sobre outra pessoa por meio de influências mágicas. Tal indivíduo está sob o controle de um demônio e com seus encantamentos coloca outras pessoas debaixo do domínio demoníaco.

Um feiticeiro significa “aquele que conhece, prognostica ou prediz o futuro.” A feitiçaria no Velho Testamento era um meio demoníaco pelo qual os eventos futuros eram revelados a um indivíduo que se submetia ao controle de demônios. Mágico é uma variação masculina da palavra feiticeiro, ou seja, um homem que faz predições.

Um encantador é aquele que utiliza magia e opera milagres pelo poder demoníaco, assim como o fizeram os mágicos egípcios nos dias de Moisés. O consultor de mortos é também referido, em outra tradução, como alguém que consulta a um espírito adivinhador. Este sujeita-se voluntariamente ao controle de um espírito maligno, e tem intimidade com ele. Tais consultores são conhecidos hoje como médiuns. Um necromante é aquele que diz predizer o futuro alegando comunicação com os mortos. Isto é realizado pelo demônio, o qual se faz passar por alguém que morreu, servindo de contato entre o mundo vivo e o mundo dos espíritos do além.

Foi atuando destas várias formas que Satanás procurou enganar a humanidade no passado. Deus declara explicitamente em vários pontos da Bíblia que todos os que praticam tais coisas são abominação para Ele.

O ocultismo nos dias atuais. Oculto significa “encoberto, escondido, secreto, misterioso”. Ouvimos falar muito sobre ocultismo nos dias de hoje. Muitas das abominações que Deus condenou em Deuteronômio 18 são praticadas em terras que se dizem cristãs. Os atuais leitores da sorte, médiuns, astrólogos, videntes, hipnotizadores, mágicos, ventríloquos, curandeiros mágicos e ocultistas, bruxos, paranormais e todas as outras expressões de ocultismo tiveram sua origem em antigas práticas pagãs e são condenadas por Deus.

Este tipo de tráfico com demônios ocorre abertamente de várias formas, tendo crescido rapidamente em muitos países. Jornais e revistas renomados contêm colunas de horóscopos e astrologia. Uma delas é escrita por uma autodenominada feiticeira que se apresenta como “a mais famosa bruxa do mundo”.

Universidades e faculdades nos Estados Unidos e em outros países começaram a oferecer cursos intitulados “Bruxaria, Mágica e Feitiçaria” devido ao crescente interesse pelo ocultismo. Várias igrejas de Satanás foram fundadas, e a adoração ao diabo é realmente praticada no mundo atualmente. A maior ambição de Satanás é ser adorado como Deus e controlar a mente da humanidade. É lamentável ver que Satanás continua a operar com sucesso, utilizando demônios, mesmo depois de quase dois mil anos desde a revelação da luz de Cristo, da Bíblia e do evangelho da graça de Deus!

 
POSSESSÃO DEMONÍACA
O Evangelho contém muitas referências a manifestações demoníacas e casos de pessoas possuídas por demônios. Estas manifestações demoníacas eram muito comuns devido à presença do Filho de Deus entre os homens. Ele se ofereceu como Salvador e Senhor, provocando a fúria de Satanás e suas hostes, que se levantaram para se opor e derrotar a Cristo.

Oposição a Cristo. Um exemplo desta oposição é visto em Marcos 1:21-27. Quando Cristo ensinava na sinagoga em Cafarnaum e as pessoas se maravilhavam com Sua doutrina, um homem com um espírito imundo (um demônio) bradou: “Que temos nós contigo, Jesus Nazareno? Vieste para perder-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus! Mas Jesus o repreendeu, dizendo: Cala-te e sai desse homem. Então o espírito imundo, agitando-o violentamente e bradando em alta voz, saiu dele”. Todos se admiraram ao perceber que Jesus tinha autoridade para dar ordens até aos espíritos imundos, e estes Lhe obedeciam.

Quando Jesus Se apresentou como Salvador e ensinou a Palavra de Deus com poder, Ele imediatamente se deparou com esta irrupção de violência do endemoninhado, o qual procurava opor-se a Cristo, silenciar Sua voz e evitar que Ele fosse recebido pela nação de Israel.

Demônios são seres espirituais que não possuem um corpo de carne e osso. São habitantes de um mundo invisível. Para se manifestar entre os homens, devem possuir ou controlar o corpo físico de uma pessoa ou animal. Quando se apoderam de pessoas, sua influência tem seus efeitos em diferentes áreas:

Efeitos no corpo. Em Mateus 9:32-33 vemos um homem mudo possuído por um demônio que foi trazido à presença de Jesus. Quando Ele expulsou o demônio, o mudo começou a falar. Parece que a surdez e a mudez tinham sido causadas pelo demônio residente. Cristo libertou o homem do controle demoníaco e então curou os efeitos físicos da presença maligna naquela vida. Muitas outras ilustrações dos Evangelhos demonstram que os demônios podiam causar efeitos físicos.

Efeitos na mente. Os demônios também afetavam os homens na esfera mental. Mateus 17:15 registra o relato de um homem que veio a Cristo e disse: “Senhor, compadece-te de meu filho, porque é lunático” (ou insano). Isto estava relacionado a algum distúrbio mental. A presença do demônio roubou a razão de seu filho, de forma que seu raciocínio era controlado pelo demônio.

Efeitos nas emoções. Alguns casos dos Evangelhos demonstram que os demônios também têm influência sobre indivíduos na esfera emocional. No caso de Mateus 17:15, o pai também disse que seu filho sofria muito, ou seja, estava agitado e transtornado. No registro de Marcos 9:18 do mesmo incidente, o pai disse que seu filho estava “definhando”, ou seja, a angústia o estava consumindo.

O indivíduo possesso, também conhecido como o endemoninhado gesareno, descrito em Marcos 5:1-20, é um exemplo vivo e notável do que os demônios podem fazer a uma pessoa. Neste caso ele foi possuído por uma legião de demônios, numerosos o suficiente para entrar e controlar dois mil suínos logo em seguida. Eles afetaram seu corpo de maneira que ele abandonou seu lugar de residência. Suas emoções também foram afetadas, pois ele passou a morar entre sepulcros por se sentir impuro e possuir complexo de culpa. Ele era vítima de tal depressão mental que continuamente se feria com pedras e gritava noite e dia. Sob a direção de Satanás, os demônios o levaram a esta condição desesperadora e sem auxílio. Mas o Senhor Jesus o livrou completamente do poder de Satanás e de todos os seus demônios, de modo que foi encontrado com Jesus “assentado, vestido, em perfeito juízo” (Marcos 5:15).
 

TRÊS ABORDAGENS DE SATANÁS
Satanás, o Príncipe dos Demônios, parece manifestar-se de três maneiras diferentes. Em Atos 10:38 lemos que Jesus andava por toda a parte “curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele”. Este seria o ataque pela opressão. A palavra original significa “exercer domínio sobre alguém, ser subjugado”. Os demônios pressionam e exercem severo controle sobre o oprimido.

Em segundo lugar, lemos a respeito de indivíduos que eram “atormentados por espíritos imundos” e foram curados (Lucas 6:18, Atos 5:16). A palavra grega tem o significado de “ser atormentado, afligido, incomodado e perturbado”. Isto pode ser chamado de obsessão, que o dicionário define como “elevado grau de tormento ou perturbação mental; estado de estar obsesso por uma idéia, desejo, emoção – que não pode ser eliminado pela razão”.

Em terceiro lugar, as Escrituras falam de pessoas “possuídas por demônios” e habitadas por eles (Lucas 8:36; Atos 8:7, 16:16). Possessão significa estar completamente sob o controle de um demônio. Aqueles que se encontravam neste estado na época do Senhor expressavam a índole e os sentimentos do demônio (ou demônios) que os habitavam.

Hoje, sem sombra de dúvida, os demônios continuam abordando as pessoas segundo estas três maneiras, assim como fizeram nos tempos bíblicos. Entretanto, visto que os verdadeiros crentes em Jesus Cristo são habitados pelo Espírito de Deus, estes nunca poderão ser possuídos por demônios. Em 1 João 4:4 temos esta garantia: “Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo”.

Todavia, é possível que um filho de Deus seja oprimido e atormentado por demônios e seja tomado por alguma obsessão e tormento mental, chegando até a duvidar de sua salvação por algum tempo. Porém o crente logo experimentará a libertação caso voltar a sua mente para as coisas do Alto e se considerar morto para as coisas de Satanás (Colossenses 3:1-5).

 
CONCLUSÃO
Apenas uma pessoa pode libertar alguém do poder de Satanás e de seus demônios. Este é Jesus de Nazaré, que expeliu demônios quando esteve aqui na terra. Ele derrotou Satanás ao morrer pelos pecadores e ressuscitar dentre os mortos. Ele é o Vitorioso que um dia porá fim a todo o poder de Satanás. Somos instruídos a resistir ao diabo e ser perseverantes na fé (1 Pedro 5:8-9). O apóstolo Paulo podia escrever: “Graças a Deus, que nos deu vitória, através de nosso Senhor Jesus Cristo”.

O grande Salvador. A vitória sobre Satanás é mediante o sangue do Cordeiro de Deus. O apóstolo João nos diz: “Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo” (1 João 3:8). Também em Hebreus 2:14 nos é dito que Cristo participou em carne e sangue para que “por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo”. E Ele mesmo, como Filho do Homem glorificado, diz: “Não temas; eu sou o primeiro e o último e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno” (Apocalipse 1:17,18).

Já foi dito que a morte é a divisa onde finda o poder de Satanás. Mas onde ele sai de cena, entra o Deus da ressurreição. Por isso, no grande capítulo de ressurreição, 1 Coríntios 15, o apóstolo Paulo dá graças pela vitória através do Senhor Jesus Cristo. Mediante Sua morte e ressurreição Jesus derrotou Satanás -- e assim temos vitória pelo sangue do Cordeiro de Deus, bem como salvação, força e poder. Aqueles que manifestam a fé salvadora no sangue do Cordeiro estão no lado vitorioso da secular batalha contra Satanás.

A grande questão. Leitor, de que lado você está? Você já entregou seu coração e alma a Jesus Cristo, o vitorioso Salvador? Se não, você está sob o poderio de Satanás, o grande adversário e enganador que um dia será preso durante mil anos por Jesus Cristo e, tempos depois, finalmente acabará lançado no eterno lago de fogo (Apocalipse 20:1-3, 10). Ele já é um inimigo derrotado. E se você escutar Satanás, e rejeitar ou negligenciar as promessas de Jesus Cristo, não abrindo seu coração e vida para Ele, seu destino eterno também será o “fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos” (Mateus 25:41). Imploramos que você receba Cristo agora, o Vitorioso, como seu Salvador, e seja salvo eternamente.

Autor: R.K. Campbell
Extraído do site do Depósito de Literatura Cristã - www.literaturacrista.com.br


Saiba mais...
As Manifestações da Rebeldia no Homem
Não Ameis o Mundo
O Cristão e a Política
O Maná
Pecado e Pecados
Satanás e Seus Ardis - I Parte
Satanás e Seus Ardis - II Parte
Satanás versus Cristo
Vitória Sobre o Inimigo
Vivendo e Julgando em Corinto