A Liderança do Espírito

Artigo exibido: 3938 vezes

Para muitos Cristãos a liderança do Espírito é considerada como uma sugestão de pensamentos para nossa orientação. Eles almejam e pedem por ela em vão. Quando muitas vezes pensam que a têm, ela não traz a segurança ou o conforto que eles pensam que deve ser o selo daquilo que realmente é do Espírito. Assim a preciosa verdade da liderança do Espírito, ao invés de ser um fim para toda a controvérsia e a solução de toda dificuldade, uma fonte de conforto e poder em si mesma, se torna uma causa de perplexidade e a maior de todas as dificuldades.

O erro vem de não aceitar a verdade de que o ensinamento e a liderança do Espírito são primeiramente dados na Vida e não na Mente. No momento em que a conformidade com este mundo e seu espírito é crucificada e morta, quando deliberadamente negamos e reprimimos a vida natural e a vontade da carne, somos renovados no espírito da nossa mente e deste modo ela se torna apta para provar e conhecer a boa, perfeita e agradável vontade de Deus (Rm 12:2).

Esta conexão entre a obra prática santificadora do Espírito em nossa vida interior e a Sua liderança aparece muito claramente em Romanos 3 verso13: “Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis”. Então segue: “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus”. Isto é, tantos quantos se permitem serem liderados por Ele nesta mortificação das obras do corpo, estes são os filhos de Deus. O Espírito Santo é o Espírito da vida santa que havia e há em Cristo Jesus, e que opera em nós como uma Vida de Poder Divino. Ele é o Espírito de Santidade, e somente como tal liderará. Através dEle Deus opera em nós tanto o querer como o fazer Seu bom prazer; através dEle Deus nos faz perfeitos em toda boa obra para Sua vontade, operando em nós o que é agradável à Sua vista. Ser liderado pelo Espírito envolve, em primeiro lugar, a rendição à Sua obra enquanto Ele convence do pecado e purifica a alma e o corpo para o Seu templo. É como o Espírito interior, preenche, santifica e rege o coração e a vida, que Ele ilumina e lidera.

No estudo do significado da liderança do Espírito, é de fundamental importância compreender este conceito em todo o seu significado. Somente a mente espiritual pode discernir as coisas espirituais e pode receber a liderança do Espírito. A mente precisa crescer espiritualmente para se tornar capacitada para a orientação espiritual. Paulo disse aos Coríntios que devido ao fato de eles, embora nascidos de novo, serem ainda carnais, como meninos em Cristo, ele não pôde ensinar-lhes verdades espirituais. Se isso refreia o ensinamento que vem através do homem, quanto mais o ensinamento que vem direto do Espírito, pelo qual Ele nos guia a toda a verdade. O mais profundo mistério da Escritura, tantos quanto são compreendidos pela mente humana, pode ser estudado, aceito e até mesmo ensinado pela mente impura. A liderança do Espírito não tem início na região do pensamento ou do sentimento, mas no mais profundo, na própria vida, no laboratório escondido da vida interior, de onde emana o poder que molda a vontade e forma o caráter em nossos espíritos, ali o Espírito Santo faz a Sua morada, ali Ele respira, se move e impele. Ele nos conduz inspirando com a vida e disposição da qual procedem os propósitos e decisões corretos.

“Sejais cheios do pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual” (Cl 1:9). Esta oração nos ensina que é somente para um entendimento espiritual que o conhecimento da vontade de Deus pode ser dado, e o entendimento espiritual vem somente com o crescimento do homem espiritual e a fidelidade à vida espiritual. Aquele que possui a liderança do Espírito precisa render a si mesmo a fim de ter sua vida totalmente possuída e preenchida pelo Espírito. Foi quando Cristo foi batizado com o Espírito que, “cheio do Espírito”, “foi conduzido pelo Espírito Santo ao deserto” (Lc 4:1), “voltou Jesus para a Galiléia no poder do Espírito” (Lc 4:14), e começou Seu ministério em Nazaré com as palavras, “O Espírito do Senhor está sobre mim”.

Desfrutar da direção do Espírito demanda uma mente muito educável e obediente. O Espírito não é estorvado somente pela carne como o poder que comete pecado, mas mais ainda pelo poder da carne que procura servir a Deus. Para ser capaz de discernir o ensino do Espírito, a Escritura nos diz que o ouvido precisa ser circuncidado, na circuncisão não feita por mãos, mas a circuncisão de Cristo. A vontade e a sabedoria da carne devem ser temidas, crucificadas e negadas. O ouvido deve se fechar para tudo o que a carne e sua sabedoria, quer em si mesma ou nos homens ao nosso redor, têm para dizer. Em todos os nossos pensamentos sobre Deus ou em nosso estudo de Sua Palavra, em toda nossa aproximação para adorar e em toda nossa saída para trabalhar para Ele, deve haver uma contínua desconfiança e abnegação do ego e uma bem definida espera em Deus para que o Espírito Santo nos ensine e nos guie. A alma que deste modo espera diariamente e a cada hora por condução Divina e por luz do conhecimento e obediência, seguramente as receberá.

A liderança do Espírito muito especialmente deve ser uma questão de fé, e isso em dois sentidos. O começo da liderança virá quando aprendemos em santo temor cultivar e agir com confiança: O Espírito Santo está em mim, e está fazendo Sua obra. A habitação do Espírito é a parte mais importante da obra redentora de Deus, a mais espiritual e misteriosa parte do mistério da piedade. Aqui é necessário fé. Fé é a faculdade da alma que reconhece o invisível, o divino, que recebe a impressão da Divina Presença quando Deus se aproxima; que em sua medida aceita o que o Ser Divino traz e nos dá. No Espírito Santo está a mais íntima comunicação da Vida Divina; aqui a fé não pode julgar pelo que sente ou entende, mas simplesmente se submete a Deus para deixa-Lo fazer o que Ele disse. Ele media e adora, ora e confia sempre de novo, rende toda a alma em adorável aceitação e agradecimento pela obra do Salvador, “Ele estará em vós”. Ele se regozija na segurança, o Espírito Santo, a força poderosa de Deus, habitando interiormente, da Sua própria maneira e posso depender dEle. Ele me guiará.

Por meio desta fé mais geral na habitação do Espírito, a fé também tem que ser exercitada em relação a cada parte da liderança. Quando há um questionamento, me prostro diante do Senhor e minha alma espera em simplicidade e vacuidade por Sua explicação e utilização daquilo que na Palavra ou providência me satisfaz, devo em fé confiar no meu Deus que Sua orientação não está retida. Não é por impulsos repentinos ou fortes impressões, nem por vozes celestiais que devemos esperar a condução do Espírito. Há almas para as quais tal orientação é indubitavelmente dada e o tempo virá, a medida em que nossa natureza se torna mais espiritual e vive mais em contato com o invisível, nossos próprios pensamentos e sentimentos se tornarão os veículos conscientes da Sua abençoada voz. Porém devemos deixar isto para Ele. Os degraus mais baixos da escada são arriados o suficiente para o mais fraco alcançar; Deus quer que todos os Seus filhos sejam guiados pelo Espírito todos os dias. Começar o caminho de seguir a orientação do Espírito pelo crer, não somente que o Espírito está dentro de você, mas que Ele empreende agora imediatamente a obra que você Lhe pede e confia. Submeta-se a Deus em completa rendição. Creia com implícita confiança que a aceitação de Deus dessa rendição significa que você está entregue ao controle do Espírito. Através dEle Jesus guia, dirige e salva você.

A condução do Espírito é inseparável da santificação do Espírito. Permita cada um que é guiado pelo Espírito de assim o ser pela entrega de si mesmo para ser conduzido pela Palavra, tanto quanto a conheça. Comece do começo, obedeça aos mandamentos. “Guarda meus mandamentos e o Pai lhes enviará o Espírito.” Deixe todo pecado, desista de tudo por Deus, e permita-O tomar a Sua direção. Através do Espírito faça morrer os delitos do corpo. Como um filho de Deus ponha-se inteiramente à disposição do Espírito, para ir por onde Ele conduz, e o Próprio Espírito, este mesmo Espírito, através do qual você mortifica o pecado e se rende a fim de ser conduzido como uma criança, testificará com o seu espírito, em regozijo e poder ora desconhecidos, que você de fato é um filho de Deus, que goza de todos os privilégios de filho no amor e direção de Seu Pai.

Autor: Andrew Murray
Do livro “O Espírito de Cristo” (The Spirit of Christ).

PSD260411