Dinheiro e Ocupação

Artigo exibido: 3344 vezes

Cremos que a chave para a consagração está em Deus, mas a fim de solidificá-la, precisamos preencher duas condições. O primeiro elemento na consagração tem a ver com a igreja. A consagração não é apenas nos comprometer com o Senhor, mas também nos comprometer com a igreja. Sem dúvida, a consagração é nos oferecer ao Senhor, mas se tal consagração se torna problemática e é retirada, ninguém fica sabendo. Se a consagração é feita sob a responsabilidade da igreja, ela pode ser preservada. Consagração sem compromisso com a igreja é algo etéreo.

O segundo elemento na consagração tem a ver com o dinheiro e a ocupação. Consagração sem compromisso com a igreja é consagração fraca; consagração que não toca no dinheiro e na ocupação é superficial.


Como Deus vê o dinheiro?
Aqui precisamos entender dois elementos:
(1) Entre Deus e a criação;
(2) Entre a criação e o dinheiro.

De uma só fonte Deus criou todas as coisas. Aquilo que os pés pisam e as mãos tocam é criação de Deus. Deus não é apenas o Criador de todas as coisas; Ele é também Senhor de todas as coisas. Satanás é o antagonista de Deus, mas ele não tem como lidar com Ele, por isso, tenta lidar com todas as coisas que vêm de Deus. Satanás não pode destruir a Deus, e por isso, ele se volta para destruir as obras de Deus, se puder. Se puder apenas tirar as coisas criadas das mãos de Deus, ele obterá vantagem. Ao tentar destruir a obra de Deus, Satanás coloca suas mãos na Sua criação.

Gostaria de mostrar a vocês a relação entre todas as coisas e o dinheiro, e também entre as coisas criadas e Deus. Satanás deseja ganhar todas as coisas para si mesmo, mas ele não pode conquistá-las uma a uma, pois cada uma delas só é demais para ele. As coisas a que tenho me referido incluem o gado, as ovelhas, as árvores, as estrelas e assim por diante. Cada umas delas são incontáveis. Ora, visto que Deus criou todas as coisas de uma só fonte, do mesmo modo, Satanás por sua vez, procura reduzí-las em uma só; e esta única coisa é o dinheiro. Não existe nada no mundo que não possa ser comprado. Daí o dinheiro ser chamado de moeda corrente, algo que tem aceitação comum. O valor de um pedaço de pedra e de madeira não pode ser aumentado, nem o valor de uma cadeira ou de uma mesa. Por isso Satanás inventa o dinheiro e por meio dele unifica todas as coisas. Ele simplifica “todas as coisas” de Deus através do arranjo engenhoso chamado dinheiro e todas as coisas em uma só, através do dinheiro e todas elas podem ser calculadas em termos de dinheiro. O dinheiro é, portanto, o meio para unificar tudo. Mas, embora tudo tenha sido criado por Deus, o próprio dinheiro não foi criado por Ele. O dinheiro pertence a César. Quando o Senhor foi questionado no tocante a ser legal pagar tributo a César, ele pediu que Lhe mostrassem um denário e lhe disse : “Daí a César o que é de César” (Mt 22:21). (Devemos observar nessa passagem que Jesus nunca levou dinheiro consigo, pois teria sido acusado de ter as coisas de César em Seu bolso).

Não, o dinheiro nunca foi criado por Deus, ele foi inventado por Satanás, visando unificar todas as coisas. Conseqüentemente o valor de todas as coisas pode agora ser calculado em termos monetários. A terra foi criada por Deus, mas agora os homens podem usar o dinheiro para calcular o seu valor. Se fosse possível, o homem calcularia até mesmo o valor da lua ou do hidrogênio no sol. Os homens podem comprar qualquer coisa; eles podem comprar o tempo e até almas humanas. A propriedade de Jacó incluía almas e também gado e ovelhas. Em Apocalipse 18 está escrito que “almas de homens” são um dos tipos de mercadoria vendida pelos mercadores da terra (vs. 12, 13). Deus criou todas as coisas de uma só; agora Satanás tenta ajuntá-las todas em uma só.

Ganhando Deus, nós ganhamos todas as coisas dEle. Satanás por sua vez, as obtém conquistando o dinheiro. O dinheiro não é todo poderoso? Com ele não se compra tudo? Compramos madeira, pedra, ou qualquer outra coisa que quisermos ter. Mas para tal, é preciso ter dinheiro. Mamom, ou o dinheiro, se torna portanto, um poder, chegando mesmo a ser o centro da adoração dos homens (Mt 6:24). A adoração de Deus ou de Mamom se torna o ponto central de conflito do universo (o termo Mamom vem do aramaico e foi usado por Jesus para personificar o dinheiro, a riqueza ou posses terrenas). Adorar a Deus nos coloca de um lado do dinheiro, o lado que se opõe a ele; enquanto que a adoração a Satanás nos coloca do outro lado do dinheiro, isto é, o lado que o adora . O oposto de Deus é Mamom. Por que Mamom pode se colocar em oposição a Deus? Porque só ele pode reunir todas as coisas em uma só. O amor ao dinheiro não é apenas a raiz de todos os males (I Tm 6:10); ele é também idolatria, pois para muitas pessoas o dinheiro é um ídolo. Curiosamente a Bíblia trata a avareza e a idolatria como sendo um só pecado (Cl 3:5; Ef 5:5). Se alguém não entende claramente o que é o dinheiro, ele não é salvo corretamente. Sabemos que não podemos batizar alguém que ainda tenha um ídolo em sua casa. Todavia, muitos salvos não trataram adequadamente com a questão do dinheiro, que continua sendo para eles um ídolo. Sempre ouvimos falar que a Índia é um país de ídolos, pois eles são em maior número do que as pessoas da nação. Entretanto, os que adoram Mamom são em número muito superior àqueles outros tipos de ídolos. Da Ásia à África, dos cientistas aos supersticiosos, todos parecem adorar a Mamom. Mamom é o mais comumente adorado.

Deus quer nos ganhar e Mamom também. Se os filhos de Deus não forem livrados da sua má influência, eles não terão qualquer testemunho e não poderão ser bons cristãos. Como alguém pode servir o Senhor se agarrando a dois opostos? Por que o Senhor foi tão exigente com o jovem rico, para que vendesse tudo? Ele era muito bom e guardador da lei, mas o Senhor lhe disse : “uma coisa ainda te falta” (Lc 18:18-23). E aquela coisa que era a mais importante em sua vida, se centralizava ao redor da riqueza e da necessidade dele ser libertado das suas garras. Por outro lado vemos que na conversão de Zaqueu ele prometeu dar metade dos seus bens aos pobres (Lc 19:8). Este princípio é o mesmo encontrado na Carta de Paulo aos Coríntios, onde ele cita o Antigo Testamento: “Como está escrito: o que colheu, não teve demais; e o que pouco, não teve falta” (II Co 8:15).

Na História da Igreja, a igreja Moraviana tem sido a igreja missionária mais poderosa. O fundador dela, o Conde Von Zinzendorf, dedicou todos os seus bens ao Senhor. A irmã Eva também deu tudo o que tinha. Há muitas décadas passadas, o hoje famoso Sete de Cambridge, veio à China para pregar o evangelho. Entre ele estava C. T. Studd, o famoso jogador de cricket da Inglaterra. Seus bens somavam duzentas mil libras esterlinas. Ele fez o propósito de dar tudo. Ao mesmo tempo comunicou ao Ministério Estrangeiro Britânico seu desejo de ir para a China como missionário. O cônsul ficou admirado com sua consagração e não ousou aceitar seu pedido. Depois de passar uma semana inteira Studd não mudou sua decisão de ir para a China e deu todos os seus bens. Deus pode usar Studd tão poderosamente porque ele venceu o Poder do Dinheiro. Porque Mamom se posiciona contra Deus, todo filho de Deus precisa vencer seu poder penetrante. Se o poder de Mamom não for vencido, não haverá poder espiritual. Mas observe com atenção que o poder de Mamom não tem sua origem na quantidade de dinheiro ou posses, pois este ídolo pode exercer um poder muito maior sobre o pobre do que sobre o rico!

Por essa razão, o cristão deve trabalhar não tendo como causa o ter ou acumular dinheiro, mas visando apenas o seu sustento e o de sua família. Certamente que não é correto ganhar dinheiro injustamente, mas podemos dizer que ganhar dinheiro de modo justo é certo? Porque o próprio dinheiro é injusto . Lucas deixa isso bem claro: “Granjeai amigos com o Mamom da injustiça” (16:9). O dinheiro é injusto porque sua própria natureza é contrária à natureza de Deus. Devemos ver claramente a posição do dinheiro, caso contrário nos será muito difícil ser cristãos. Os cristãos não devem tirar proveito do dinheiro das pessoas mundanas. Se fizermos isso, perdemos nossa posição de cristãos. Testemunhamos que nosso Pai está acima de tudo e que somos Seus filhos. Como pessoas como nós podem tirar vantagens às custas de pessoas deste mundo? Isso está abaixo da nossa dignidade. Falando do ponto de vista cristãos, no mundo inteiro só existem duas classes: os não crentes e os irmãos. E se é verdade que não podemos tirar vantagem dos não crentes, podemos agir assim com nossos irmãos cristãos? Vamos, portanto, resolver bem esse problema. O cristão não trabalha visando apenas ter ou cumular; ele trabalha para garantir seu sustento.

Autor: Watchman Nee
Tradução: Delcio Meireles


Saiba mais...
Dinheiro e Ocupação
O que voce tem feito pelo Senhor Jesus?
O Senhor Guiará aos Generoso de Coração
Ofertas - Daí e dar-se-vos-á!
Onde Está o Teu Tesouro?
Podemos Acumular Tesouros Sobre a Terra?