Vivendo e Julgando em Corinto

Artigo exibido: 4284 vezes

Artigo transcrito de uma mensagem de Stephen Kaung, extraído do site www.editorarestauracao.com.br.

I Coríntios 5:1 a 8
1 GERALMENTE se ouve que há entre vós fornicação, e fornicação tal, que nem ainda entre os gentios se nomeia, como é haver quem abuse da mulher de seu pai.
2 Estais ensoberbecidos, e nem ao menos vos entristecestes por não ter sido dentre vós tirado quem cometeu tal ação.
3 Eu, na verdade, ainda que ausente no corpo, mas presente no espírito, já determinei, como se estivesse presente, que o que tal ato praticou,
4 Em nome de nosso SENHOR Jesus Cristo, juntos vós e o meu espírito, pelo poder de nosso Senhor Jesus Cristo,
5 Seja entregue a Satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no dia do SENHOR Jesus.
6 Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa?
7 Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.
8 Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.

Vamos orar:
Querido Senhor Te louvamos e Te agradecemos pelo Teu tremendo e maravilhoso amor por nós, Tu nos amaste e amaste ao extremo, Oh, como Te louvamos e Te agradecemos porque Tu nunca nos deixa ir, mas Tu nos persegue, até que Tua beleza, Tua vida, Teu caráter, Tua glória possa ser manifestada no meio do Teu povo. Oh Senhor, nós te louvamos e Te agradecemos por Tua preciosa palavra, pedimos que Teu Espírito Santo abra a Tua palavra a nós e abra o nosso entendimento. Oramos para que Tua palavra caia em solo bom e produza fruto para Ti mesmo. Compreendemos Senhor que sempre que nos reunimos estamos em Tua presença, estamos em solo santo, ensina-nos como nos humilhar como Teus servos por amor, abra o nosso ser à Tua atuação e permita que a Tua palavra faça a obra em nós. Transforme-nos e conforme-nos em Tua abençoada imagem e Te daremos toda glória. Pedimos em Teu precioso nome, Amém.

Estivemos tendo comunhão sobre esse importantíssimo assunto; nosso chamamento. Nós como redimidos do Senhor fomos chamados para uma maravilhosa comunhão, fomos chamados para a comunhão do Filho de Deus, Jesus Cristo. Agora você poderia jamais imaginar que pessoas tais como nós somos, e ainda assim Deus em Seu grande Amor por nós nos chamaria para a comunhão do Seu Filho Jesus Cristo? Pense na comunhão do Filho de Deus Jesus Cristo. Com quem Ele tem comunhão? Compartilha juntamente sem nenhuma reserva em harmonia perfeita? Sua comunhão é com o Seu Pai no Espírito. E da mesma forma o Pai abre completamente ao Filho, sem reter nada ao Seu Filho, compartilhando juntos com o Seu Filho Amado e pense que Deus abriu essa comunhão divina, santa, perfeita, eterna a nós que fomos redimidos. Por isso temos o privilégio, cada um de nós que foi redimido pelo Senhor, fomos chamados, e porque fomos chamados para essa comunhão não devemos saber nada a menos de Jesus Cristo e este crucificado. O apostolo Paulo disse: Quando foi ter convosco coríntios determinei não saber nada entre vós, a menos de Jesus Cristo e Este crucificado. Agora por que? Porque é Jesus Cristo e Este crucificado que nos conduz a essa comunhão, é Jesus Cristo e Este Crucificado que nos capacita para a comunhão, esta é a única forma, e o único conteúdo esta é a única possibilidade. Portanto precisamos não saber nada a menos de Cristo e Este crucificado, e se fazemos isto, verdadeiramente seremos um como Ele e o Pai são um.

Você sabe que quando você começa a ler esta carta aos Coríntios, você se admira que Paulo pode bem no começo dizer: Para que todos falemos a mesma palavra, possamos ser unidos em uma mente em uma opinião, agora como pode ser isto? Se realmente somos fiéis ao nosso chamamento e realmente não soubermos nada além de Jesus Cristo e Esse crucificado; então Cristo não está dividido de outra forma haverá divisão, não apenas divisão no mundo mas divisão na igreja, e isso é o que encontramos nos quatro primeiros capítulos desta carta aos coríntios.

Agora nessa manhã gostaria de entrar no segundo problema que a igreja de Coríntios tinha, mais uma vez isso nos causa admiração que não fosse algo que os crentes de coríntios tivesse perguntado a Paulo em sua carta a ele, Paulo disse: isso é algo que geralmente é dito, em outras palavras você descobre que quando ele falou sobre divisão, disse, a família de Cloe falou-me sobre a sua divisão, mas aqui você descobre que não precisou que alguém dissesse a Ele, porque isso é algo que geralmente é dito é conhecido em todo lugar, por isso mesmo quando Paulo não estava em Corinto Paulo ouviu sobre isso, era algo bem conhecido, estranhamente os crentes de Corinto nem sequer perguntaram a Paulo sobre esse problema porque para eles isso não era nada, eles eram tão infantis em suas consciências, que consideravam essas coisas como comuns, como algo com que não se preocupar, mas o apostolo Paulo com a sua aguçada percepção, sua espiritualidade, seu discernimento, considerou esse o problema mais sério, e tinha que ser indicado e que tinha que ser tratado.

Agora qual o problema? O problema era o incesto. Um irmão na igreja em Corinto tomou a mulher de seu Pai, e isso era algo que mesmo entre as nações não era desconhecido, e ainda quando essas coisas aconteceram a igreja em Corinto, não disse nada, não fez nada como se fosse nada, mas quando Paulo ouviu sobre isso ele disse: Que isso era uma brecha, uma brecha séria para a comunhão do filho de Deus, Jesus Cristo. Era uma tal contradição, uma espécie de violação àquela comunhão, àquela comunhão sagrada, tão profana e tão impura que o espírito de Paulo foi alterado, por isso ele disse: muito embora não esteja com vocês em corpo, mas em espírito estou com vocês e no espírito julguei este assunto e por tudo entreguei este homem a satanás, para que o seu corpo seja destruído, para que o seu espírito seja salvo. Irmãos e irmãos mesmo quando Paulo tratou desta situação ele tomou o lugar mais elevado, em outras palavras, ele não estava olhando para este pecado ou outros pecados como você encontrará no capitulo seis, ele mencionou outros pecados entre eles, havia um irmão que foi a coorte do mundo para acusar outro irmão, mas de qualquer forma você encontra que Paulo quando estava tratando com estas coisas negativas entre o povo de Deus, ele tomou o lugar mais elevado, quer dizer, ele olhou para aquilo de forma positiva para o propósito de Deus, para o coração de Deus, para a vontade Deus. É por isso que você encontra que neste capitulo ele mencionou sobre este assunto da celebração da Festa dos Pães asmos, assim esta é a Sua abordagem.

Agora irmãos e irmãs, sabemos que Paulo disse nossa Páscoa, Cristo Jesus foi sacrificada, vocês sabem que graças a Deus, quando temos a mesa do Senhor, ela é a realidade da Festa da Páscoa, que os filhos de Israel guardaram anos após anos até mesmo hoje, quando eles eram escravos no Egito, Deus os redimiu pelo cordeiro pascal, cada família preparou um cordeiro sem mancha, e naquele dia quatorze eles mataram este cordeiro e colocaram o sangue nos batentes da porta de suas casas e todos os da família reunidos dentro daquela casa comeram o cordeiro pascal, e quando estavam comendo à meia noite, o anjo da destruição da parte de Deus passou por todo o Egito, para matar todo primogênito daquela terra, homens e animais, desde o faraó até o escravo, mas quando o anjo via sangue na porta ele passava é por isso que se chama páscoa e por causa do sangue do cordeiro, do cordeiro pascal os filhos de Israel foram despachados as pressas. Agora irmãos e irmãs sabemos que este é um tipo de um antítipo o comprimento foi em nosso Senhor Jesus Cristo.

Deus enviou o seu Filho Unigênito a este mundo como cordeiro de Deus, Ele veio para tirar o pecado do mundo, e por causa disso Ele foi morto na cruz do calvário e Seu sangue precioso foi vertido, e por causa dEle nosso Cordeiro Pascal que foi sacrificado, então o anjo da destruição passou por nós, nossos pecados foram perdoados, escapamos, fomos redimidos, Satanás e o mundo foram julgados, mas nós fomos libertos e isso é páscoa, e cada um de nós tem uma páscoa, contudo você descobre que os filhos de Israel imediatamente tiveram a páscoa, no dia seguinte em que tiveram a páscoa tiveram que guardar a festa dos Pães asmos, o fato é que estas duas festas são juntas, no Novo Testamento que a festa dos Paes asmos é chamado de festa da páscoa, porque elas são uma única coisa, você não pode separar estas duas festas, mesmo no dia da páscoa, se come o pão asmos e depois disso por sete dias os filhos de Israel tinham que comer somente pães asmos, na casa dos filhos de Israel não podia haver ali nenhum fermento, de jeito nenhum, e você sabe que de acordo com o costume judeu eles tinham que buscar na casa, era uma coisa muito seria, eles buscavam na casa para ver se havia algum fermento guardando, eles tinham que limpar as suas casa de todo fermento, porque em Êxodos nos é dito: “Qualquer um que durante esta festa dos Paes asmos comesse fermento, deveria ser cortado da comunidade de Israel”. Em outras palavras, ele seria privado de todos os privilégios do pacto de Deus com os filhos de Israel, era uma coisa muito seria, a páscoa era apenas um dia, porque o nosso Senhor Jesus foi sacrificado uma vez para sempre, você não pode ter uma segunda vez, é apenas uma vez e foi feita para sempre, mas a festa dos Pães asmos continua por sete dias, porque sete na escritura representa perfeição, plenitude nesta terra, na eternidade o numero é doze, mas na terra é sete, é um numero perfeito e isto simplesmente significa que a festa da páscoa tinha que ser guardada por um dia, mas a festa dos Pães Asmos deveria ser guardada por sete dias, em outras palavras, ela é continua, ela é algo para todo o tempo da vida para nós, para os filhos de Israel são apenas sete dias, mas para igreja é uma festa para toda a vida, a igreja, esta celebrando a festa dos Pães Asmos e a estamos celebrando até a volta do nosso Senhor Jesus. Por isso, você encontra aqui o apostolo Paulo dizendo, pois também a nossa páscoa, Cristo foi sacrificado, reconhecemos isso, aceitamos isso, cremos nisso, mas se nós cremos nela o que devemos fazer? Prosseguimos naquela páscoa. Vamos celebrar a festa dos pães asmos. Assim, pondo de forma simples a igreja hoje esta celebrando a festas dos pés asmos, a igreja em si é uma nova massa, é uma refeição, a refeição na medida requerida, para ser oferecida a Deus como oblação, como oferta de alimento. Por isso, irmãos e irmãs, nós estamos nos dias da celebração da festa dos Pães Asmos, assim você pode ver a seriedade de algum fermento na igreja, todo o fermento deve ser retirado, porque esta em contradição até mesmo com o significado da Páscoa, com o significado da nossa salvação, é uma contradição com o que Deus fez, e nós tendo sido redimidos, devemos guardar a festa dos Paes asmos, com sinceridade e verdade, não com malicia e maldade não com fermento mas com o pão sem fermento.

Agora o que é o fermento? Você sabe que fermento não é permitido ser oferecido a Deus na oferta de alimento, em outras palavras, quando você oferece a oferta de refeição, a farinha o pão a massa, você tem que oferecer a Deus sem fermento, se ela tiver fermento não será aceita, você sabe que existem duas coisas que não podem ser oferecidas: fermento e mel. Nenhum fermento e nenhum mel. Porque, o que é o fermento? Fermento é algo ativo que você coloca na farinha na ferinha de trigo, e ao colocar o fermento na farinha de trigo ele começa a fermentar, e então você descobre que a farinha de trigo começa a aumentar, a inchar e o resultado é que esta farinha de trigo ou aquela refeição ficará maior, do que ela realmente é, e mais macia mais saborosa para as pessoas, isto é o que é o fermento, nós usamos fermento quando estamos fazemos pão. Lembro-me de quando aprendi a fazer pão chinês, usava fermento, vi como a farinha inchava e aumentava, você entende? Você sabe que as pessoas gostam de comer pão fermentado, se for sem fermento é duro é difícil de digerir, não é tão saboroso, você sabe, isso é o fermento. Mas o fermento na Escritura, sempre fala de algo mal, corrompido, vocês se lembram em Mateus 16 versos 6 a 12, um dia o nosso Senhor com os Seus discípulos estavam cruzando o mar, e nosso Senhor repentinamente disse: cuidado com o fermento dos Fariseus e dos Saduceus. Então os discípulos pensaram: Bem, esquecemos de trazer nosso pão. Mas nosso Senhor disse: Vós não lembrais dos cinco pães e dois peixes que alimentaram muitas pessoas, e quanto sobrou? E vocês se lembram de que em outra ocasião quatro mil pessoas, quantos cestos sobraram? Não estou falando deste pão físico, estou falando sobre a doutrina, a doutrina dos Fariseus e Saduceus.

Agora, o que é a doutrina dos Fariseus? Sabemos que os fariseus são a seita mais estrita do judaísmo, eles fazem do estudo bíblico que é o Velho Testamento, o trabalho de suas vidas, eles não apenas estudam, mas também tentam guardar cada letra dela, e mais do que isso, eles crêem e seguem os ensinamentos as tradições dos pais, em outras palavras, quando você abre o Velho Testamento você tem a palavra de Deus ali, mas você tem os princípios, como todo estes princípios devem ser aplicados. Por isso você encontra que todos os anos, os Rabinos, os grandes Rabinos, se levantam e tentam interpretar estes textos do Velho Testamento e a possível aplicação deles, agora suponha que é dito que no Sábado você não pode trabalhar? Agora, o que é trabalhar? Bem se você ficar com fome você vai ao campo de trigo e você pode pegar o grão e isto não é trabalho, mas você não pode roubar, se você roubar, isto é trabalho, agora todo o tipo de coisas no Sábado, você não pode caminhar uma certa distância, e se você fizer estará trabalhando e nos tempos modernos se você entra em um elevador e aperta o botão você está trabalhando isso você não pode fazer. Agora o que é a doutrina dos fariseus, o que é o fermento dos fariseus? Em outras palavras, eles aumentaram a palavra de Deus eles colocaram algo dentro dela o pensamento humano as idéias, interpretações dentro dela e a aumentaram e a fizeram mais do que ela é, fizeram a verdade do pecado como falsidade e ensinamentos humanos como a palavra de Deus, até que, “bem é um gosto apropriado para o povo”, então nosso Senhor nessa terra disse: Vós sois hipócritas! Porque vós guardais o mandamento da tradição de vossos pais e violentam a palavra de Deus. Quem pode assim disputar com estes fariseus dizendo: Vocês não conhecem a palavra de Deus? Não, eles conheciam a Bíblia, eles eram mestres, mas não guardavam os mandamento de Deus, misturando tradições humanas com a pura palavra de Deus, isto é fermento.

E qual era o fermento dos saduceus? Os saduceus eram uma outra seita no meio do judaísmo, o fato é que no tempo do nosso Senhor Jesus a família do sumo sacerdote era da seita do saduceus. Eles são racionalistas, eles racionalizaram a palavra de Deus, mesmo o que não apelasse para a sua racionalidade diziam: Isto não é verdade. Por isso, eles não criam na ressurreição eles não criam em espíritos ou anjos, não criam nisso porque esta além da racionalidade humana. Se você disser que eles não crêem na Bíblia, eles estudam a Bíblia, eles tentam guardar o ensinamento legal, as éticas da Bíblia, justamente como as pessoas hoje, elas amam o Sermão do Monte, pensando que é o ensinamento mais ético do mundo, mas elas os guardam, ou elas estão capacitadas para guardá-lo? Agora estes são o fermento dos saduceus. Se você disser que eles não crêem, eles são uma seita do judaísmo, se você disser que eles crêem, eles não crêem, agora isso exatamente que é a confusão. E nosso Senhor Jesus disse acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus, porque se é cem por cento erro todos saberão ninguém crera nela, mas se você mistura erro com verdade isso é fermento, ele aumenta, incha, mas é agradável para o sabor humano, contudo o nosso Senhor Jesus o tornou muito claro, celebrar a festa dos Paes Asmos é algo para toda a vida, assim todo o pecado, toda a maldade, todo fermento tem que ser alimpado.

Agora como guardamos a Festa do Paes Asmos? Então lembre-se o que a Bíblia diz: Celebremos. É uma celebração.

Agora o que você celebra? Você celebra algo que nosso Senhor Jesus já consumou por nós, pense nisso. Ele é a nossa Páscoa, Ele nos libertou do pecado, do mundo, do velho homem, da carne, da velha criação, Ele nos libertou completamente, e agora somos uma nova massa, por isso celebramos. Como celebramos a festa dos Paes Asmos? Ele disse: Celebremos não com o fermento velho, você não pode celebrar com o fermento velho, nem com o fermento da malicia, da maldade, mas com o Pão Asmos da sinceridade e verdade, você vê um contraste aqui, agora, se você celebra com malicia e maldade, isso é fermento velho se você celebra com sinceridade e verdade, isso é pão asmos.

Agora, o que é a malicia? Você sabe que esses dois são opostos um ao outro. O que é a malicia? Você sabe que em uma bíblia chinesa a malicia é traduzida como um veneno escondido, é um veneno que esta escondido, isso é o que é a malicia.
E o que é a sinceridade? Sinceridade é transparência, completamente aberto, transparente, nada escondido, cristalinamente claro.
E o que é maldade? Maldade é o oposto da verdade, tudo que não é verdade na visão de Deus é maldade. A verdade é a palavra de Deus a verdade é Cristo. Qualquer coisa que não seja Cristo, qualquer coisa que não seja de acordo com a palavra de Deus é inverdade é maldade.

Por isso não podemos celebrar a festa dos Paes Asmos com malicia e com maldade, a única forma correta de celebrar é celebrar com sinceridade e verdade, nada secreto, nada escondido, puro, transparente, aberto, de acordo com a palavra de Deus. Irmãos e irmãs queremos fazer uma pergunta, porque é que a Igreja de Corinto reage de tal forma, com pecado tão horrível no meio deles, e contudo eles não anotaram, não fizeram nada? Eles o consideravam muito comum, tudo bem, não importa. Nós não sabemos que se há fermento, cedo ou tarde toda a massa será fermentada? E esta é a razão pela qual você tem que se limpar do fermento, você não pode permitir nem um pouco de fermento nela, porque conseqüente isso abastece toda a massa, é por isso que o incesto é um pecado muito sério, e contudo os crentes coríntios o considerava como nada, porque? Nós já mencionamos no principio, não hoje, mas inicialmente, que os coríntios eram notados naquele tempo por duas coisas, foram notados por sua eloqüência, você fala como um coríntio, eloqüente, mas há uma outra coisa, você vive como um coríntio, corrupto, isso é o que eles eram, mas graças a Deus por nosso Senhor Jesus, Seu sangue foi vertido, Ele os limpou, eles foram santificados, eles foram justificados, mas como vieram a ser tão negligentes? Eles nem mesmo consideravam isso como algo sério, e provavelmente sobre controle, eles pensavam que eram muito liberais, ou totalmente amáveis de coração, porque? Basicamente é porque não tomaram a cruz do nosso Senhor Jesus em suas vidas, eles crêem na obra objetiva da cruz, eles não permitem que a cruz opere em suas vidas, eles querem viver suas próprias vidas fáceis, tudo o que gostam querem fazer, eles rejeitaram a obra da cruz na vida deles, e esta é a razão pela qual você descobre que todas as coisas são velhas, o fermento velho apareceu.

Por isso irmãos e irmãs, Jesus Cristo e Este crucificado é tão central para a vida cristã, para a vida da igreja, se você não fala sobre Jesus Cristo e Este crucificado, se você não permite que Jesus Cristo de quem vem esta vida, entrar em sua vida, não apenas como uma doutrina conseqüente será com a igreja em Corinto.

Nos é dito: Não julgueis, se julgardes outros, serás julgado, em Mateus 7:1 é dito: não julgueis para que vós não sejais julgados, se você julga a outros, você será julgado, portanto não julgue. Mas irmãos e irmãos se você ler cuidadosamente a palavra de Deus há dois tipos de julgamento, um tipo é mal nós não devemos julgar, quer dizer se julgamos criticando, desprezando, jactando, arrogantes, pensando que somos perfeitos e outros não, este tipo de julgamento é proibido, Deus é o nosso Juiz, qualquer pessoa que julga com este olhar critico, o mesmo julgamento conseqüentemente virá sobre ele, mas isso não significa que não podemos julgar, por que? Se você ler em Mateus 7, não julgueis para que não sejais julgado, porque como vós julgais os outros sereis julgados, como vós medis os outros series medidos, se vires o vosso irmão com um cisco em seu olho, então vá a ele e diga: Irmão, tens um cisco ai. Você sabe que agradeço ao Senhor porque o Senhor era um Carpinteiro, e na carpintaria quando eles estão fazendo estes trabalhos com madeira, você tem esta porção de todas estas pequenas coisas voando por ai e facilmente entra em seus olhos, agora nosso Senhor disse então que se você vai ao seu irmão e diz: Você tem um cisco em seu olho, deixa me tirá-lo, lembre-se você deve ter uma trava em seu olho, como então você julga ao seu irmão, julgue a você mesmo primeiro, tire a sua trave e então você verá claramente, e isso significa que você deixa seu irmão ir? Não, então você ajuda aquele irmão a tirar aquele cisco do olho, assim em outras palavra isso não significa não faça nada e não diga nada, como se você não tivesse visto nada de jeito nenhum, julgar tem um outro significado e Deus quer que julguemos, julgar é discernir, temos que julgar entre o bem e o mal, certo e errado, senão não há sentido, em tal tipo de julgamento, que tipo de vida é essa? Deus é amor mas Ele julga, precisamos discernir, é claro precisamos julgar a nós mesmos primeiro e perdemos a nossa vida permitindo que o Espírito Santo nos julgue, e permitirmos a Ele também com a cruz operar em nós, então teremos discernimento espiritual do que esta acontecendo em outros, e teremos a habilidade para servir e ministrar a eles, sem julgamento não pode haver nenhuma ministração, por essa razão a Bíblia diz que o Espírito discerne todas as coisas, se você não pode ao menos discernir como você pode ajudar, como você pode ministrar? Por isso aqui você encontra que há dois tipos de julgamento, veja o julgamento de Paulo, ele disse: Estou convosco em espírito, o meu espírito e o vosso estão juntos julgando este assunto, alimpais-vos deste fermento, em outras palavras, ele esta julgando em espírito e não na carne, se você julga na carne isto é errado, porque você se faz arrogante, você pensa que é perfeito. Quem é você para julgar? Mas se for no espírito há humilhação ali, há amor ali, há ministração ali, e este é o julgamento que devemos ter.

A igreja em Corinto teve um novo julgamento e Paulo teve que tocar a consciência deles, para tentar levá-los, despertá-los para poderem discernir, julgar, e até executarem, de outra maneira se eles permitirem que estas coisas prossigam, cedo ou tarde irá fermentar toda a igreja, alimpai do fermento, você sabe que quando você lê primeira Coríntios capitulo cinco, você pensa que Paulo foi muito impetuoso: Entreguem esta pessoa a Satanás para que seu corpo seja destruído, porque? Para que o seu espírito possa ser salvo, é o amor por traz disso, e então se você continua a ler o capitulo até seis, e mesmo no capitulo cinco no verso doze. Porque que tenho eu que julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Em outras palavras, não temos nenhum direito de julgar os que estão de fora, Deus os julgará, mas nós temos maior responsabilidade de julgar aqueles que estão dentro, estes que estão tendo comunhão juntos, precisamos julgar uns aos outros, isto quer dizer que precisamos ministrar uns aos outros, ajudar uns aos outros, para que possamos celebrar com sinceridade e verdade, de outra maneira, falharemos em nossa responsabilidade, continuando no capitulo seis, Paulo disse: Não sabeis que um dia julgaremos o mundo, os santos julgarão o mundo, se hoje vocês atuam como o mundo, como julgarão o mundo? Porque vocês são separados, então vocês podem julgar o mundo. Um dia Deus fará o julgamento do mundo com o Seu filho e com aqueles que estiverem com Ele, se estivermos capacitados, seremos escolhidos para julgar o mundo. Paulo disse: Não tendes entre vós alguém que pode julgar entre os irmãos, para que os irmãos tenham que ir à corte do mundo para que tenham as coisas acertadas, não há homem sábio entre vós, porque defraudais vossos irmãos e não quereis ser defraudados? E mais do que isso não sabeis que julgareis até mesmo os anjos? Pense nisso; os anjos são mais elevados que os homens e um dia os homens julgarão os anjos, por isso, que tipo de pureza, que tipo de caráter deve ser edificado no homem? Irmãos e irmãs, não nos deixemos estar errados, não há nada de errado no julgamento, se é no espírito correto, é errado se você não julga, como podem os pais educar seus filhos, sem julgamento não há disciplina isso é o que você vê hoje nesse pais, se você julga você não está amando, para que você possa amar não diga nada, deixa as pessoas fazerem o que quiserem.

Queridos irmãos e irmãs quão distorcido é o nosso raciocino, se você realmente estuda a palavra de Deus você descobrira que verdade e amor são um, se há verdade há amor, se há amor deve haver verdade, você não pode amar a inverdade, se você amar a inverdade você realmente não ama, mas odeia, se você vê um irmão em um erro e você esteve nesse erro antes, você o experimenta, você se arrepende, você recebe a obra da cruz em sua vida e se você vir um irmão fazendo a mesma coisa, bem, você não diz nada, não faz nada, deixa-o ir, sendo amável? Você está odiando o seu irmão! Você precisa ajudar o seu irmão. A Bíblia diz aqueles que são espirituais devem ajudar aqueles que são fracos que podem cair, mas cuidado para não ser tentado.

Por isso irmãos e irmãs, todo o nosso conceito deve ser corrido, hoje pensamos que se alguém ama, não importa com relação à verdade, porque se você fala a verdade causará problemas, as pessoas reagiram, as pessoas serão machucadas ou não ouvirão, está bem, tudo está bem, na há nada de errado. Você odeia o seu irmãos, o que acontecerá quando ele aparecer diante do trono do julgamento de Cristo, estaremos agindo como Caim: Sou eu esponsavel pelo meu irmão? Deus diz: Você é responsável. O amor sacrifica a si mesmo para completar a outro, este é o amor de Cristo, este é o amor de Deus e este é o verdadeiro amor.

Você sabe que quando lemos primeira aos Corintios capitulo seis, eu me admiro se você também se admira, porque é que neste capitulo bem no final capitulo 6 no verso 12: Todas as coisas me são licitas, mas nem todas as coisas convem, todas as coisas me são licitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas. Agora porque de repente Paulo diz estas coisas? Todas as coisas me são licitas para mim? EM outras palavras, todos nós uma vez estivemos debaixo da lei, mas graças a Deus agora estamos debaixo da graça, e porque estamos debaixo da graça, assim todas as coisas são licitas para mim, agora você entende isso? Em outras palavras você esta acima da Lei, e porque você esta acima da Lei, qualquer coisa que você faça é licita, mas mesmo assim ele disse: mas nem todas as coisas convém. Sim você é livre.

Vocês sabem que me lembro que nos princípios do ano 60 durante aqueles dias, vocês sabem, os filhos de Deus e todas estas coisas que estavam acontecendo, vocês sabem que as pessoas apenas pegavam coisas sem pagar, porque? Somos filhos de Deus, tudo é do nosso Pai. Todas as coisas são licitas, sou livre, estou acima da Lei. Irmãos e irmãs, vocês sabem que algumas vezes interpretamos liberdade desta forma. Todas as coisas são licitas para mim, somos os redimidos do Senhor, somos filhos de Deus, portanto, estamos acima da Lei, e podemos fazer qualquer coisa, todas as coisas são licitas, mas lembre-se, nem todas as coisas convém, sim todas as coisas são licitas, mas não se deixe dominar por nenhuma delas, se você é dominado por alguma, você se torna escravo, você não é mais um dos filhos de Deus, você se torna escravo, por isso, você encontra quão terrivelmente interpretamos nossa libertação, nossa liberdade, de uma tal forma que abusamos da liberdade que Deus nos deu. Pode ser que entre os crentes coríntios eles diziam: Graças a Deus fomos salvos, estamos acima da Lei, assim todas as coisas são licitas, podemos fazer qualquer coisa. Mas Paulo disse: Lembrem-se que a licitude é conveniente, se não é conveniente não a faça, se você esta dominado por ela não a faça.

E o que é a verdadeira libertação, verdadeira liberdade? Somos livres do pecado, somos livres do mundo, somos até livres de nós mesmos, da nossa carne, somos livres para adorar a Deus, somos livres para servi-Lo, isso é liberdade, verdadeira liberdade.

Por isso queridos irmãos e irmãs, aqui vocês descobrem que a igreja em Corinto tinha um fermento entre eles, contudo não eram conscientes, e suas consciências precisavam ser despertadas, para que pudessem se alimpar daquele fermento e guardar a festa com sinceridade e verdade. Agora, quando você lê segunda aos Coríntios, muitos comentaristas da Bíblia crêem que o homem que Paulo comenta em segunda aos Coríntios, foi julgado por todos os irmãos e foi convencido e ele se arrependeu, e então Paulo disse: Perdoai, receba-o. A maioria comenta que este homem a que ele se refere é aquele homem que cometeu incesto.

Assim que o Senhor possa ter misericórdia de Sua Igreja, que Ele possa preservar a Sua Igreja da corrupção, e que Ele possa ter uma Igreja gloriosa, santa, sem mácula, sem mancha ou ruga de nenhuma sorte. Deus tenha misericórdia de todos nós.

Querido Senhor, te agradecemos por Teu amor por nós, Te agradecemos porque Tu não nos deixa ir livres, Te agradecemos por tocares em nossas manchas e rugas, Te agradecemos por removerdes todo o fermento, Te agradecemos por desejares que sejamos santos sem macula e em Tua presença.

Oh Senhor! Tenha misericórdia de nós, em Teu nome, Amém.

Autor: Stephen Kaung
Artigo transcrito de uma mensagem de Stephen Kaung, extraído do site www.editorarestauracao.com.br.


Saiba mais...
As Manifestações da Rebeldia no Homem
Não Ameis o Mundo
O Cristão e a Política
O Maná
Pecado e Pecados
Satanás e Seus Ardis - I Parte
Satanás e Seus Ardis - II Parte
Satanás versus Cristo
Vitória Sobre o Inimigo
Vivendo e Julgando em Corinto