O Espírito e a Salvação

Artigo exibido: 3426 vezes

Os que crêem estão seguros porque o dom de Deus é a vida eterna. Vida eterna que alguém possui hoje e perde amanhã não é vida eterna. A vida eterna é permanente; é uma vida sem fim. Ela é uma dádiva e uma posse atual de crente: “Aquele que crê em mim tem a vida eterna.” A vida eterna é uma vida gerada pelo Espírito Santo. Pelo primeiro nascimento nós fomos unidos ao primeiro Adão; pelo segundo nascimento nós fomos unidos ao Último Adão. Quando alguém nasce numa determinada família humana ele não tem como perder sua identidade com ela. A mesma coisa acontece com a família celestial: nascendo nela, pela operação do Espírito Santo, nós não podemos perder nossa identidade divina


Selados pelo Espírito
O crente em Cristo esta seguro porque ele foi selado pelo Espírito Santo: “...e tendo também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa” (Ef 1:13). Este selo é também o “penhor” até “a redenção da possessão adquirida” (inglês). Satanás não tem como roubar uma vida que foi marcada com o selo de Deus. Não foi isto que o Senhor Jesus prometeu: “Minhas ovelhas nunca perecerão”? Afirmar que uma vida selada com o Espírito Santo pode se perder é declarar que o selo de Deus é insuficiente para levá-la ao destinatário, o que neste caso é o céu.


O Espírito Entristecido
O Rei Davi pecou gravemente contra o Senhor no caso da mulher de Urias. No Salmo 51 ele descreveu o arrependimento sincero do seu coração diante do Senhor. Ele disse: “Torna a dar me a alegria da Tua salvação” (v. 12). Observe que ele não pediu a salvação de volta, mas sim a alegria da salvação. Não podemos confundir portanto, a certeza com a alegria da salvação.

Porque o Espírito Santo se entristece quando o crente peca? Primeiro porque Ele é o Espírito Santo e todo o pecado Lhe é ofensivo. Segundo, porque ele tem que deixar a deleitável ocupação de revelar ao crente as perfeições e glorias de Cristo para lhe mostrar seu pecado e transgressão. Neste caso, a alegria e consolação são tiradas do crente, até que ele julgue e resista ao mal que o Espírito tanto detesta. Logo que isso é feito, a comunhão é restaurada.

Extraído da Revista Palavra Profética, 1987

PSD 050511